quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Dos recomeços (a um novo ano lectivo)

Sísifo

Recomeça....
....................
Sem angústia
E sem pressa.
E os passos que deres,
Nesse caminho duro
Do futuro
Dá-os em liberdade.
Enquanto não alcances
Não descanses.
De nenhum fruto queiras só metade.


E, nunca saciado,
Vai colhendo ilusões sucessivas no pomar.
Sempre a sonhar e vendo
O logro da aventura.
És homem, não te esqueças!
Só é tua a loucura
Onde, com lucidez, te reconheças...

Miguel Torga | TORGA, M., Diário XIII

(que todos os recomeços se façam sem angustias e sem pressas, com passos livres e certos e para conquistas completas. que as loucuras que nos seduzam sejam apenas as nossas!)

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Do poder que as referências exercem

Foto de As crianças são muito infantis. 

Hoje o meu dia começou com esta imagem: à medida que o dia foi avançando, e não foram precisas muitas horas, a imagem ganhou todo um significado e sinto que, apesar de já ter encontrado vários pontos de sustentação, este circulo ainda não está fechado!

Quanto ao Zé não sei, mas lá por casa o boné usa-se assim porque há um certo jogador de futebol que também o faz. Não vale a pena negar o poder que as referências de uma geração exercem sobre a dita geração. O meu dedo dói de tanto carregar na tecla "sê tu próprio!".

É inevitável nas relações sociais do João: ele procura - e encontra - sempre uma referência. Avalia, identifica-se ou não se identifica, gosta ou não gosta. Isso ele até faz bem, mas se gosta, há sempre alguma coisas que ele vai querer imitar. Às vezes é um detalhe tão pequenino que sinto que apenas o meu olhar atento detecta, mas a verdade é que ele existe. Hoje o João quis sair de casa com gel no cabelo e eu sei exactamente porquê. Mais uma vez lá tenho de carregar na dita tecla "se tu próprio!".

No programa da manhã de hoje da Comercial ouço o Vasco Palmeirim referir-se à sua mania de adolescente de usar 2 camisas (e de como isso virou moda na altura). E é isto que eu quero transmitir quando carrego na dita tecla: fazendo o que nos apetece e apenas porque nos apetece, somos nós próprios. Não imitações.

(cá por mim dispenso qualquer tipo de imitação!)

sábado, 22 de julho de 2017

Da (falta de) criatividade


Leio esta reflexão, na crónica de António Lobo Antunes na Visão desta semana, e percebo melhor as caras atónitas quando tento levar a cabo algo novo, e as respostas "como é que se costuma fazer?", sempre que apresento algo para aprovação sem ter confirmado previamente 'como é que se costuma fazer'!

(umas vezes consigo alguma criatividade, outras não!)

terça-feira, 18 de julho de 2017

As férias do Tomé

O Tomé estava finalmente de férias. O ano letivo tinha chegado ao fim e era chegada a altura de viver mil aventuras. Não parava de pensar no tanto que ia fazer e as ideias chegavam à sua cabeça a uma velocidade que ele não conseguia acompanhar e, pior, ele nem sabia por onde havia de começar..

O Tomé estava para lá de entusiasmado e todos os dias saltava da cama preparado para não perder um único minuto: tinha de ir à piscina, tinha de jogar futebol, tinha de inventar histórias e aventuras com os seus legos, tinha de saltar à corda, tinha de cantar e tocar guitarra, tinha de ler, tinha de escrever, tinha de jogar badminton, tinha de jogar ténis ... ufa... por onde haveria ele de começar? Apetecia-lhe fazer tudo ao mesmo tempo e achava que não ia conseguir...

...

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Do que foi e do que é

"O que foi não volta a ser, mesmo que muito se queira..", já dizia a canção e eu concordo inteiramente. O que já passou é imutável e irrepetível, ainda que uma ilusão mais forte nos possa querer fazer acreditar o contrário: podemos ser os mesmos, a percorrer as mesmas ruas e até imbuídos do mesmo espírito de outrora mas... o que foi não volta a ser!<3 p="">
<3 p="">
(e isso é bom! apesar de ter sido igualmente bom o que não se repete!)

domingo, 2 de julho de 2017

Muito mais do que 'impulse'

"Mamã, posso participar no Verso em Branco?"

Imagino sei que na prática se irá traduzir em muito pouco, mas este pedido valeu por si só. O Verso em Branco tem mais um contribuidor e o que eu senti foi muito mais do que 'impulse'!

#sóparaquemviveunosanos80

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Das boas notícias

Hoje as boas notícias vieram de longe e deram cor ao nosso dia!

 
Obrigada, helpo. Somos mais felizes por ajudarmos a fazer a diferença onde ela é mais precisa.

(#mahera)