segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Meio tudo

Meio sem jeito; meio sem tempo; meio cansada. Meio "desfeita".

Exagero: sei que sim; mas hoje - só hoje - fico assim!

(e amanhã é outro dia!)

sábado, 28 de dezembro de 2013

"Mundicueca"

Ele há coisas verdadeiramente criativas e inovadoras! Duvidam? Eu já não!!

Hoje apresento-vos um revolucionário - e muito útil - "apanha-lamas"; foi baptizado com o nome de guerra "mundicueca".


(peça única e patenteada, não está à venda mas aceitam-se encomendas de reproduções!)

sábado, 7 de dezembro de 2013

Do que vale a pena

Sou fã das pequena mercearias; então ter uma perto de casa, eu diria que é um LUXO! Neste preciso momento (sim, é preciso especificar porque há coisas que evoluem muito rapidamente) temos essa sorte!

Desde que aqui moramos, e para esta contagem vou usar a expressão "há apenas" 5 anos, já perdi a conta ao número de vezes que aquele pequeno espaço abriu e fechou! Para mim é incompreensível, uma vez que é uma zona residencial e ter "os frescos" (e tudo o resto) a um passo, parece-me que interessa a qualquer um. Não é bem assim, provou-me o ritmo de "abre e fecha"!

Este post não é patrocinado. Este post tem um alcance muito reduzido. Este post vai ficar perdido no ritmo dos dias. Mas mesmo assim tento insisto: vizinhos, vão lá ao "Joaninha Mini Mercado"!

(ai o que eu gosto de ter uma mercearia ao pé da porta!!!)

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Da independência

Hoje o dia começou com um grito de independência do nosso "rapaz" :-); então não é que D. João foi sozinho à gaveta buscar a sua roupa (não há que enganar: é SEMPRE o fato de treino do uniforme, devidamente acompanhado pela t-shirt... do uniforme!), vestiu-se sozinho, (des)dobrou o seu pijama e ainda fez a cama!?!? Tal e qual!

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Do tiquetaque

O João arranca-me - facilmente - gargalhadas autênticas; daquelas que me deixam presa à fantasia e que transformam a mera recordação num rasgado sorriso. Assim foi ontem, no banho, quando me falava de uma amiga da salinha que é de Moçambique (penso) e me dizia, a propósito da sua paixão pelas línguas e da nova palavra que tinha aprendido em espanhol, que ela não falava português..
mamã: claro que a S. fala português, João;
João: eu sei mamã, mas a S. tem um tiquetaque!
(ri com gosto e lá lhe expliquei que todos temos "tiquetaques": uns mais acentuados, outros menos... só que não se chamam assim)

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Das dúvidas (existenciais)

A partilha de hoje invade um bocadinho a esfera íntima do João mas, pela sua pureza e inocência, sei que mo permitirá: quer no momento presente, quer num momento futuro em que, já maduro, lerá estas linhas.

Ontem, durante o banho, foi tempo para o João se questionar (e me questionar): "mamã, olha só o meu pilau: está pequenino! às vezes está grande; às vezes está pequenino; às vezes está grande... e eu não percebo porquê?"

(aos 4 anos, isto é obra! e eu lá me (des)enrasquei como pude!)

terça-feira, 26 de novembro de 2013

A Estética...

A Estética (tal como os gostos) não se discute.
Pelo menos quando o nosso filho de 4 anos nos oferece alguns dos seus autocolantes, dizendo: "Os teus aviões vão ficar ESPECTACULARES, não vão?"
Claro que vão! Além do mais, ninguém terá um PC9, um Funtana, um Spitfire e um Spacewalker tão espectaculares como os meus!

Obrigado João! :-)





Dos ensinamentos

Aos pouquinhos o João vai-se libertando do (doce) "Joanês"... e quando nada o faz prever, como ontem ao final do dia, mais uma palavrinha é descodificada:

João (a propósito de nada e com ar comprometido: mãos atrás das costas, sorriso matreiro): mamã, quero dizer-te uma coisa: "frigorífico"!
mamã (verdadeiramente espantada porque já não se falava neste tema há "séculos", apesar do João insistir no "fibísco"): muito bem, João; quem é que te ensinou?
João: foram vocês, porque quando eu era pequenino eu não dizia bem - dizia fibísco - e vocês ensinaram-me a dizer bem!

Aqui está a prova de que nunca se deve desistir e que os ensinamentos ficam mesmo "lá", onde quer que seja o lá, e um dia revelam-se!

(claro que repetiu a façanha com o pai, de tão feliz que ficou com o seu feito!)

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Quando tudo bate certo

Quando é que sabemos que tudo vale a pena? Quando é que sabemos que o caminho é o certo? Bem, isso é quando o nosso filho de 4 anos - ao partilhar connosco um momento importante - nos dá isto:


(tendo inventado, in loco, uma história encantadora)!

Aí, nesse preciso momento, tudo bate certo!

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Mais uma boa razão para se ter um filho

O João tem sempre bem ensaiado e na ponta da língua um "ainda bem que eu já nasci!"; por mais esta razão, continuo a fazer coro com ele. Hoje de manhã, a falar um pouco para o ar mas com o João no banco de trás, deixei sair um "tenho aqui uns pêlos chatos: tenho de os tirar". A resposta solidária - e o apoio - não se fez esperar: "mamã, queres que eu amanhã - no dia cor-de-rosa - vá contigo à Celina?".

(a Celina é a minha esteticista; quem mais, senão um filho, nos acompanha nestes momentos? nem maridos apaixonados!)

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Perplexidades

Estou perplexa; ele há dias mesmo surreais! O que dizer sobre um conjunto de factos que não fazem sentido e nos conduzem a um desfecho inesperado!?! Pois, também não me ocorre mais nada!

(com A. e V. - deu para rir, mas não devia!)

domingo, 10 de novembro de 2013

Lembrete

Sei que um dia mais tarde vou recordar-me deste dia e do quão produtivo ele foi - porque foi!

(para o caso de me esquecer, este é o lembrete!)

Algumas conclusões

Quando releio o que escrevo, e depois de passar uma distância de segurança, reconheço que gosto do que vejo. Hoje alguém leu este post e eu, que pelo título já não me lembrava do que se tratava, abri-o. E gostei!

(e eu alinho com o coro que defende que escrever (e isto dos blogs em particular) é uma bela terapia. ajuda-nos a alinhar o pensamento de uma forma irrepreensível! sem dúvida!)

Da (des)organização (e da criação)

Tenho um sentido de organização muito estranho: gosto de ter as ideias espalhadas por todo o lado (leia-se: escritas por tudo o que é papel; papel espalhado por tudo o que é local!)! Acabo de concluir que funciono mesmo assim e pior (ou não): gosto de funcionar assim! Comigo dá frutos!

(embora seja estranho: reconheço!)

(Tentativa de) Grito de independência

Hoje o João fez-me um pedido deveras estranho para 4 anos: "mamã, ensina-me a escrever aqui como é que eu faço para ir para os meus jogos!". E isto, devidamente instalado em frente ao computador!

(querem lá ver que a "formiga já tem catarro!)

Pilates

Benditas sejam as aulas de pilates que me aliviaram completamente as dores nas costas! E não, ainda não é a idade (digo eu!) ;-)!

(quase inacreditável)

sábado, 9 de novembro de 2013

Do mau para o bom

Hoje - azar meu - precisei de fazer uma passagem rápida pelo supermercado: sexta-feira, 18:45 h e eu esqueci-me que estava perante uma impossibilidade. "Arre burro!": espera imensa, mala pesada ao ombro e ganhei uma valente dor de costas (e perdi 40 minutos da minha vida!). A única coisa boa disto tudo foi ver as diferentes caras de espanto e de riso de todos quantos se apercebiam da extensão da fila das caixas self-service. Lição a retirar disto tudo: há que abrir mais caixas, senhor dono do super(hiper)mercado!

E não é que, no fim disto tudo, o meu dia acabou com uma descompressão total? Obrigada parteneres; foi mesmo, mesmo, mesmo divertido!

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Do desencantamento

Estou completamente - mas completamente - desencantada com a minha profissão . E agora o pior: não sei que volta vou dar a isto! Alguma forma vou arranjar: sei que vou; não aguento muito tempo desencantada! Se calhar vou mudar alguma coisa aqui na minha secretária... é isso: vou dar uma arrumação para ver se também arrumo as ideias e as preocupações! :-)

(perceberam o humor subtil, certo? raisparta: é mesmo só o que me ocorre... e não posso verbalizar! já ouvi esta (quase) palavra no discurso do João e agora tenho de fazer com que passe para a zona do esquecimento! o que me descansa é que sei que estas serão as piores palavras que arrisco a que me saiam pela boca fora; outras, iguais ou piores, nem as penso!)

p.s. estou a falar da profissão e não do meu trabalho! complicado, não?

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Há sempre uma primeira vez!

Há sempre uma primeira vez! Diz-se e é bem verdade.
Pela primeira vez estive (promovi) numa actividade na escola do João. Sei que ele gostou e espero que os amigos também. O resultado final - foguetão movido a propulsão pulmonar - é bem giro!
Para mim, foi algo novo e que muito apreciei. A repetir!

Quanto às educadoras, que acabaram por ter quase todo o trabalho, agradeço a paciência e presto a minha homenagem; também pela capacidade de suportar tamanho nível de decibéis todo o dia!

Ah, pois, e esta é também a primeira vez que aqui deixo o meu testemunho. Mais um verso preenchido!

sábado, 2 de novembro de 2013

Das confusões naturais

Ontem o João foi para a escola ostentando um pin na camisola. Ia feliz e feliz veio; veio também com a novidade de que já sabia o que era aquela parte que picava: "sabes o que é mamã? É uma agulha!". Lá lhe expliquei que na verdade era como se fosse uma agulha, embora fosse mais um alfinete! Hoje estava a falar de filetes (daqueles de pescadinha, sabem?) e o João apressa-se a exibir os seus conhecimentos: "eu sei o que são filetes; é como se fosse uma agulha"!

(pois, foneticamente tenho pouco a apontar!)

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Hoje

Hoje estou de óculos. Isto, só por si, já não é bom sinal mas... tudo bem.
Hoje perdi 30 minutos no trânsito por causa de um carro avariado na saída da A3. O dia prometia ser complicado e não consegui evitar que se instalasse um nervoso miudinho mas... tudo bem.
Hoje recebi uma má notícia logo ao entrar no gabinete. Ele há "más notícias" e "más notícias" e esta era uma má notícia para mim mas uma boa notícia para alguém a quem quero bem, portanto... tudo bem.
Hoje, mais uma vez, constatei que a "palavra" não vale o mesmo para todos. Deixaram-me ficar mal e eu fui forçada a falhar também.. tudo (pouco) bem.
Hoje, mais uma vez, fui forçada a pensar que este País não vai no rumo certo..

... tudo bem. Haja amanhã!

Hoje só quero chegar a casa!

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Ainda o halloween

Ao João têm chegado diversos apelos à volta do halloween. Ele nunca gostou do halloween. Não gosta e não faz segredo disso! Ontem, face a mais uma tentativa minha de o aliciar para a brincadeira, respondeu-me peremptoriamente: "Eu já disse 5 vezes que não gosto do halloween. Será que vou ter de voltar a falar sobre o assunto?" Ops, reconheci o tom com que me respondeu...

(não filho, claro que não tens de voltar a falar sobre o assunto; eu já percebi!)

p.s. a única coisa a que acha piada é à ideia de - ele e os amigos - assustarem o professor de ginástica.. ah, e também me pediu para me disfarçar de "assustadora" e assustar os meninos que vêm pedir doçuras! Aí sim, ri-se muuuiiitoooo!!!!

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Dos miúdos fixes

Os vossos vizinhos podem ser fixes... mas não serão tão fixes quanto os miúdos cá da rua, que até nos avisam - por escrito - de que teremos problemas se não tivermos doçuras na noite do dia 31 de Outubro! Quem avisa....

(ao mesmo tempo convidam para a "borga"; já vos disse que sou fã destes miúdos, não disse?!?)

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Da estranha relação entre "iogurte" e "atrasos"

Hoje o João teve uma visita de estudo (sim, aos 4 anos também se fazem visitas de estudo!) e tinha de estar na escola a uma determinada hora. Zeloso como ele anda com o cumprimento dos horários, acha que quando tem compromissos eu não posso comer iogurte ao pequeno-almoço: acontece nos dias da natação e da ginástica e aconteceu, excepcionalmente, hoje! Ia no carro e lá suspirou um "vês mamã, eu acho que vamos chegar atrasados e é por causa de teres comido o iogurte!".

(claro que não chegamos atrasados!)

terça-feira, 22 de outubro de 2013

"Fime cûme"

Esta história já não é nova, mas acabei de a descobrir aqui no meio dos meus apontamentos: deve ter umas duas semanas, penso eu!

No dito dia, o João esforçou-se por nos transmitir o que tinha aprendido na escola:
João: sabem que eu hoje aprendi uma palavra nova com a Sandra?
Pais: ai sim, João? E como é?
João: "fime cûme"! E sabem o que significa? Significa "olá" em espanhol!
Pais: não, João: tu sabes dizer "olá" em espanhol e não é assim, pois não? Mas não te preocupes, se calhar essa é uma palavra que nós não conhecemos; vamos pedir à Sandra para nos ensinar também.
João: nãããããooo, não perguntem porque a Sandra também não sabe!
(?!?!)

Dos sonhos

Numa altura em que sonhar é (quase) proibido, decidi dedicar-me à causa: estou a tratar dos meus sonhos :-)!

domingo, 20 de outubro de 2013

Emoções

Hoje o João foi ao seu primeiro concerto "de grandes"! Já tinha andado pelos concertos para bebés (sem grande entusiasmo, diga-se de passagem) mas isto é outra louça.

Quando vi aqueles olhinhos curiosos seguirem tudo o que por ali se passava; quando vi a calma e a atenção com que seguia o concerto e assistia àquele mundo novo, fui assolada pela comoção. Não houve como evitar!

Resultado: experiência aprovada. Sugestão aos artistas da nossa praça: fazerem meios-concertos (!?! ops i'm joking)... fazerem metade de tudo, a pensar nos mais novos. Aquilo do meio para a frente, já foi um bocadinho em esforço... lá saía um "quero ir para casa", entre cada música e nos encores lá se ouvia um "mas eu não quero mais nenhuma música". Tirando isto - que não é nada no meio de tudo o resto - five stars!

sábado, 19 de outubro de 2013

10.000

E não é que chegamos ao mítico (ah, ah, ah!) 10.000!?!? Como prometido, tenho uma novidade: este é o momento em que a minha metade se junta a mim, como contribuidor deste "verso em branco". E tudo faz, de repente, todo o sentido; neste cantinho que é meu, mas onde as aventuras são, quase sempre, nossas!

(em boa hora o sub-titulei  de "sem medida". está prestes a crescer e a ficar mais rico!)

Desta vez assumo: acalento em mim uma vontade que o João um dia se junte a nós e que este "verso em branco" se complete na sua dimensão!

(não vou condicionar - que não vou - mas se acontecer... ah se acontecer!!!)

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Vida saudável

O João anda numa de alimentação saudável - faz parte do projecto da escola e da sala e nós aplaudimos de pé a iniciativa e os estimulos que vai adquirindo. Não sabemos bem a que propósito, declarou na escola que o pai bebia muuuuuuuita cerveja; imeeeeeeeensaaaaaaaa!

(e eu ainda me estou a rir: do episódio em si e da vontade que gera no "lesado" em repor a verdade!) :-)

domingo, 13 de outubro de 2013

Más influências?

Hoje de manhã ouvi o João mas não percebi muito bem o que ele disse; vai daí indaguei (estávamos um bocadinho distantes; já repararam como nestes casos temos tendência para arrastar as palavras?):
mamã: Jooooãããooooo, o que fooooiii? a mamã não percebeeeeu!
João: não é naaadaaa, mamããã. Estou a falar soziiiinho!
(ops, será que isto se pega!?!?) 

sábado, 12 de outubro de 2013

Coisas da imaginação fértil

Hoje o João veio ter comigo - todo ele riso matreiro - com a caixinha da surpresa do ovo da Páscoa na mão e com uma pergunta a bailar-lhe na ponta da língua: "mamã, ora tenta não adivinhar o que tem lá dentro!".

(pois, tens razão; teria sido demasiado fácil adivinhar que tinha lá dentro uma bolinha pinchona! ;-) )

Porque me apetece

Há 9 meses, também num Sábado e mais ou menos por esta hora, nascia o "verso em branco". Nascia sem rumo e apenas com um propósito: ser um espaço - meu - para o que desse e viesse. Pois que vieram 9 meses, algumas aventuras, episódios partilhado e quase 10.000 visitas.

Ando cá com uma coisa minha de querer assinalar as 10.000 visitas com algo especial. Por nada, senão apenas porque me apetece (nesta coisa dos blogs que são nossos, fazemos mais ou menos o que nos apetece!). Como o contador permite, há já algum tempo que penso no que poderia ser "especial" para assinalar o dito momento. Ontem foi o dia em que "dei de caras" com a minha escolha, antes ainda dela o ser!

Já sabem: às 10.000 visitas teremos uma surpresa... e não, não é um brinde, nem um giveaway, como se diz por aqui :-)!

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Das conquistas

Hoje o João redescobriu, nos seus tesouros, um desenho que a amiga Luísa lhe deu há uns tempos atrás; todo ele floooooreeeeesss! Pensou um bocadinho e lembrou-se que não sabia fazer flores. E o que é que ele quis, de imediato, aprender a fazer? Flores, claro!

É o meu sinal de chamada. Lá vou eu, pronta para tudo (e, naquele momento, não faço ideia do que é "tudo"): pronta para aceitar que não me deixe explicar como fazer; pronta para gerir a frustração de não conseguir fazer; pronta para fazer magia e transformar em sorriso aquele biquinho que se lhe forma nos lábios; pronta para domar as lágrimas que se avolumam nos seus olhos, transformando-as em doses de coragem; pronta (ou não!?) para partilhar a alegria de mais uma conquista!

(já se deitou um bocadinho tarde, mas orgulhoso por ter aprendido a fazer flores (à sua maneira): "é uma surpresa para o meu papá"!)

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

"Razão de ser"




Paulo Leminski 

Não é mesmo preciso um "por quê", e apesar disso eu tenho alguns: porque respiro; porque transpiro; porque sinto!

Das ideias mirabolantes

Hoje, a troco de nada, disseram-me: "só mesmo a Carla para ter estas ideias; a Carla está na profissão errada". O primeiro pensamento que me assolou - e a primeira resposta que me bailou na ponta da língua - foi o típico: "então o que é que eu devia ser, idiota?". Claro que eu sabia que este pensamento - resposta - era, ele sim, idiota. Só consegui levantar o sobrolho, anuir e dizer para os meus botões: "pois é, tens toda a razão!"

(e enquanto isso, vou praticando por aí umas ideias "mirabolantes".... e ainda vou arranjando quem alinhe comigo (saravá people)! sem dúvida que com um pouco de "sal" a vida é mais emocionante!)

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Desta coisa de sermos duros com os duros

Sou daquelas que acredita que "água mole em pedra dura tanto dá, até que fura". O que é que isto quer dizer? Que mesmo quando confrontada com situações desagradáveis, mesmo quando tratada com indiferença, mesmo quando maltratada até, opto por manter o nível e por - entre muitas aspas - "oferecer a outra face". Acredito na bondade das pessoas e ainda que por vezes essa bondade nem se aviste sequer... eu insisto;  quero acreditar que um dia ela se revelará.

Na reunião de início de ano lectivo do João, foi lida a carta que transcrevo abaixo e que me fez ficar a pensar nesta coisa de sermos "duros com os duros". Se calhar...

(leiam; a carta é um bocadinho grande para os padrões deste blog, mas vale a pena!)

Carta de Abraham Lincoln aos professores


"Caro professor, ele terá de aprender que nem todos os homens são justos, nem todos são verdadeiros, mas por favor diga-lhe que, por cada vilão há um herói, que por cada egoísta, há também um líder dedicado, ensine-lhe por favor que por cada inimigo haverá também um amigo, ensine-lhe que mais vale uma moeda ganha que uma moeda encontrada, ensine-o a perder mas também a saber gozar da vitória, afaste-o da inveja e dê-lhe a conhecer a alegria profunda do sorriso silencioso, faça-o maravilhar-se com os livros, mas deixe-o também perder-se com os pássaros do céu, as flores do campo, os montes e os vales.

Nas brincadeiras com os amigos, explique-lhe que a derrota honrosa vale mais que a vitória vergonhosa, ensine-o a acreditar em si, mesmo se sozinho contra todos. Ensine-o a ser gentil com os gentis e duro com os duros, ensine-o a nunca entrar no comboio simplesmente porque os outros também entraram.

Ensine-o a ouvir a todos, mas, na hora da verdade, a decidir sozinho, ensine-o a rir quando esta triste e explique-lhe que por vezes os homens também choram. Ensine-o a ignorar as multidões que reclamam sangue e a lutar só contra todos, se ele achar que tem razão.

Trate-o bem, mas não o mime, pois só o teste do fogo faz o verdadeiro aço, deixe-o ter a coragem de ser impaciente e a paciência de ser corajoso.

Transmita-lhe uma fé sublime no Criador e fé também em si, pois só assim poderá ter fé nos homens.

Eu sei que estou a pedir muito, mas veja o que pode fazer, caro professor."

terça-feira, 1 de outubro de 2013

E se algo acontecesse?

Hoje vou falar de coisas assim a modos que... a modos que complicadas. Hoje vou esperar ser lida por legisladores; advogados e afins (sentadinha, não se preocupem), que - como eu - tenham vontade de mudar o mundo. Hoje vou esperar fazer acontecer.

Hoje, vou voltar ao mesmo (tipo "vira o disco...").

Ninguém precisa de se esforçar muito para ver a confusão - trapalhada? -  em que estamos emergidos, certo? Leis - "contra-leis" - decretos-lei; portarias; ofícios; contratos e diplomas vários, aparentados destes! É isso que está em causa!

Pessoal que me possa valer, escutem-me. Vamos lá fazer o nosso tempo valer a pena, pode ser? Vamos simplificar isto? Se não puder ser tudo de uma vez, eh pá, vamos devagarinho, mas vamos fazer o caminho!

Eu fico à espera (sentadinha, claro está!); e vocês, o que vão fazer?

Agradecida.

Claramente embriagada

Os 4 anos são, definitivamente, a idade do disparate. Mas é um disparate tão doce, tão doce, tão doce, que embriaga.

(sem nunca ter estado embriagada (no comum sentido da palavra), acho que é isto!)

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Coroa de glória

Esta história nunca ficou bem contada. Nunca ficou devidamente contada. Vou tentar fazê-lo hoje, porque tenho uma "coroa de glória" por partilhar.

Quem me conhece e tem privado comigo recentemente, já deve ter percebido que chego a esta fase da minha vida com o lamento de não ter explorado outros caminhos que não apenas os dos números. Não vou dizer que o caminho foi (está a ser) errado - porque não foi - mas que lamento não ter explorado outros, é verdade. Quais? Os das letras, claro! os do imaginário; os do faz-de-conta; os da criatividade!

Até hoje fiz a carreira que fiz. Nem boa nem má, mas que me trouxe, sem dúvida, muitos momentos de realização profissional e pessoal. Metas atingidas, superadas; não me queixo. Agora a "coroa de glória", essa, tive-a no passado dia 14 de Agosto, quando, na escola do João, vi dois "poemas" meus serem interpretados para um grupo de meninos, entre os quais estava o meu filho. Foi, como eu disse que iria ser, "um fósforo"  - rápido, rápido -, mas foi "um fósforo" que ainda hoje brilha para mim!

(se os "poemas" eram especiais? não!; se precisavam de ser especiais? não!; se o momento foi especial? sim, claro que sim!)

domingo, 29 de setembro de 2013

A propósito de fatias (e da necessidade de refinar as explicações!)

(falava-se de bolo e de quantidades... certas ou não!)

João: mamã eu só comi 2 fatias de bolo, não foi?
mamã: não João, não comeste 2 fatias de bolo, comeste 2 bocadinhos; se comesses 2 fatias era muito!
João: então o que é uma fatia?

(pois!!)

sábado, 28 de setembro de 2013

Mais certezas

Hoje de manhã o João quis fazer comigo um avião a jacto, de Lego. Para valorizar "a coisa", disse-lhe: "João, isto é muito difícil; não sei se vamos conseguir"! Resposta pronta e assertiva: "é claro que vamos!"

(e conseguimos, claro! e eu gosto tanto disto!)

Certezas

Ontem, como vos disse, foi um dia mau (e sim, continuo a falar de trabalho). Precisei regressar ao meu aconchego para compassar a minha respiração - e o meu coração.

Recuperado que estava o equilíbrio, dediquei-me a coisas práticas. Peguei nos panfletos da campanha eleitoral que se foram acumulando cá  por casa e decidi os meus votos (não, não foi apenas pelo que li... foi, sim, pelo que não li! e não vou votar em branco, o que significa que o "silêncio" - e a ausência de ideias - pode ser  muito esclarecedor!). Este assunto está, portanto, arrumado. Depois fechei os olhos  e viajei um bocadinho até tirar outra conclusão: tenho orgulho - e muito - do que está para trás e uma fé inabalável para o que aí vem. E esta fé é coragem e determinação!

(porque há dias - e situações pequenininininhas - que mexem cá dentro - cabeça e coração: e sim, continuo a falar de trabalho, porque para mim trabalho também é - e tem de ser - coração!)

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Coisas do trabalho e das diferentes formas de pensar

Hoje vou falar só - e apenas - de trabalho. Hoje o dia foi mau. Não adianta camuflar com algumas coisas boas que de facto aconteceram e resolveram alguns problemas, porque na essência o dia foi mau.

Leio contratos e confirmo que, de uma forma geral e salvaguardando eventuais excepções que desconheço, os advogados são muito ineficientes. Leio a mesma coisa, por outras palavras ou até com as mesmas, vezes sem jeito. Para salvaguardar falhas, não tenho dúvidas, mas não seria preferível esquematizar bem o raciocínio e com isso poupar umas 15 páginas em 20?

Com esta, e com outras como esta que marcaram o meu dia, fico com a certeza de que não pensamos todos da mesma maneira!

(e dizem vocês: "é saudável"! sim, é saudável... mas cansa! e desaponta!)

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

"Dos pés à cabeça"

"mamã, tu sabes que nós temos umas colunas nos braços?"

(!?!? e os ensinamentos sobre o corpo humano já estão a produzir efeitos ;-))

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Das memórias que guardamos

Pois que vou fazer um teste...

As mães recentes só falam dos filhos porque é incontornável que assim seja (sim, pouco mais se passa no mundo!). Eu não sou "mãe recente". Eu escrevo neste blog sobre as peripécias do João - também da estreia no campismo - porque me apetece (também para lhe deixar uma memória). Sim, podia escrever num outro sítio mas há espaço para tudo. Não são "pequenos nadas", muito menos "uma maçada".

(entendido?!?) ;-)

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Domingo foi dia 'B'

Ou não, não foi dia 'B'; foi dia de percorrermos todas as letras do alfabeto. Foi dia de vermos vencer uma vontade maior.

Há coisas que não se explicam - muitas até -, a emoção/orgulho do nosso filho por mais uma conquista é uma delas! No Sábado, do alto dos seus 4 anos, o João informou-nos de mais uma decisão que tinha tomado: "decidi: vou tirar as rodinhas da minha bicicleta!". Esta era uma decisão que já havia sido abortada por 2 vezes e, também por isso, era de importância acrescida; estando nós fora no Sábado, Domingo seria o dia. A nossa colaboração nestas decisões é total, como é total o apoio nos resultados atingidos (quer sejam eles bons, quer sejam eles maus). Há uma coisa que sabemos: o João não desiste! Pode adiar, mas não desiste!

E ontem foi dia de vermos vencer uma vontade maior!

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Sábado foi dia 'C'

'C' de campismo!

Porque havia por aí uma promessa por cumprir - e porque o Verão já ameaça deixar-nos - tínhamos mesmo de tratar desse "deve e haver" o quanto antes; Sábado foi o dia escolhido... só porque sim.

O destino já estava escolhido: parque de campismo da Orbitur - Viana do Castelo. Vou confessar: apesar de termos gostado muito e de tudo ficar à distância de uns passinhos (piscina, parque infantil, praia,...), a verdade é que para o João o encanto do campismo estava dentro da tenda. Nem as amigas estrelas e lua - de que tanto gosta - lhe desviaram o foco; era dentro da tenda que ele queria estar. Estava, pois, ansioso pela noite que chegou com todos os rituais: os do campismo, que o João não conhecia - o banho, o "petromax" a iluminar o nosso bocadinho, o silêncio e o leite aquecido no "campingaz" -, e os seus próprios rituais - as histórias, a conversa e as canções. Com o seu saco-cama e com os amigos eleitos para esta aventura, estava pronto para o soninho! E foi bom....

(segundo as palavras do João, "este foi o melhor campismo de sempre!" ;-) e eu subscrevo inteiramente!)

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

A menina mola

Hoje baixou em mim a vontade de vos falar da "menina mola". Pois bem, a "menina mola" é o meu alter ego; já me fez rir taaaantooo que fico sempre feliz quando ela "volta"!.

(e já tinha saudades!)

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Diálogo (possível) entre cunhados

Um cunhado envia uma sms ao outro com um pedido simples, mas daí decorreu esta "conversa da treta":
cunhado 1: tens um berbequim que me emprestes?;
cunhado 2: tenho, mas não te empresto!;
cunhado 1, com resposta prontíssima: bom, podia ser pior... podias não ter!
E ainda não consegui parar de rir!!

(que me desculpem os protagonistas mas tinha mesmo de partilhar... pelo prazer das gargalhadas sentidas que dei ;-) )

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

A nossa agenda, a nossa agenda (para cantar, como só alguns saberão)

Terça-feira (de manhãzinha): ir à ilha dos piratas comprar uma arca do tesouro para a festa dos 5 anos do João! ;-)

(sim, vamos todos e vamos de barco; é favor considerar este post como um pré-aviso de falta! ;-) )

terça-feira, 10 de setembro de 2013

"tenopiscópio"

Apresento-vos o "tenopiscópio" do João.


(e eu ontem fui a "tonta" mais feliz das redondezas enquanto à porta de casa observava a lua e as estrelas guiada - bem guiada - pelo mestre do "tenopiscópio"!)

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Dos castigos, das tentativas de os furar e da coragem para os manter

Por coisas cá nossas, o João está de castigo: nada mais nada menos do que uma semana sem doces. Nem de propósito um amigo da escola festejou hoje o 4.o aniversário e o João vem ter comigo - eufórico - com um saquinho de doces na mão. Rodeou por tantos lados quantos os que conseguiu inventar - comigo, com o pai, connosco -, depois de "entregar as pontas" dirige-se resignado ao armário onde guardamos os doces: "pronto, estes docinhos ficam aqui para quando eu já não estiver de castigo!"

(e nós? já com vontade de voltar atrás no castigo, claro, mas não demos "parte de fracos" ;-) )

domingo, 8 de setembro de 2013

Que sorte a nossa (mesmo!)

O João, nem todos saberão, adora colaborar nas limpezas. Hoje decidiu que havia uns vidros cá em casa a precisar de uma lavagem e, vai daí, decidiu pegar num apetrecho que temos p'raqui (daqueles extensíveis, estão a ver?); muito empenhado alerta o pai para um facto que convém não esquecer: "ainda bem que vocês têm um filho para vos ajudar."

(como !?!? :-) sim, claro que sim filhote, temos IMENSA SORTE... não por isso mas por tudo o resto!!!)

sábado, 7 de setembro de 2013

Recordações

Acabou de acontecer: a troco de uma rifa solidária o João escolheu um lápis e um caderno - este caderno.



(amarelinho que só ele)!

E eu viajei uns 25 anos (ops!?!) no tempo. Tive um, tal e qual... e não devo ter sido a única!?!

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Do querer voar

Ao mesmo tempo que deseja que os dentes caiam, o João começou a treinar o seu assobio (e treina afincadamente, como dita a persistência que já o caracteriza)! Estamos a falar - no mínimo - de uma semana de treino, mas eis que agorinha mesmo a sua primeira assobiadela se fez ouvir! Querer é - mesmo - poder!!

(e eu, como sempre João, emociono-me com mais uma conquista tua! estás ávido de vida: parece que queres voar! e eu, que só te quero junto a mim e congelar este presente, agarro-te tanto quanto o meu coração permite!)

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Andamos nesta

Por cá temos um novo mote; reza assim: "eu só quero que os meus dentes caiam!".

(está bom de ver a quem pertence, não está!?)

Arma secreta

Porque sou amiguinha e hoje me lembrei, partilho convosco a minha "arma secreta" para quando quero que - sem birras - o João faça aquilo que eu quero que ele faça e não aquilo que ele quer fazer. Por cá resulta sempre (e olhem que já a uso há muuuuiitooo tempo)!

Pois bem, basta simular uma competição da qual ele saia (sempre) vencedor! Done.

Como vos disse, recorro algumas vezes a esta "arma" e, como tal, tenho de ir dourando um pouco "a coisa" para ir mantendo os níveis de emoção ;-). Hoje foi assim (na hora de ir para a caminha e quando o João já me rodeava as pernas "vá  lá, vá lá, hoje posso adormecer na sala, posso?"):
mamã: quem vai ser o primeiro a dar um beijinho ao pai e a ir para a caminha? Hoje não há hipótese João; vou ser mesmo eu, vais ver!! 
(sai disparado de perto de mim, já com os braços no ar "papá, papá, beijinho... beijinho" e, claro, ganhou ele!)
João: ga-nhei; ga-nhei!
mamã: João, tu ganhas sempre e assim fico triste; acho que vou chorar.
João: oh mamã não chores, ganhar ou perder é desporto!
(querida - tão, tão querida - ingenuidade. amo-a (e sei que a vou perder).)

p.s. sim, eu sei, poderia fazer uso da minha autoridade e dizer um simples: "João, para a cama!", mas há alturas em que prefiro assim e sabem porquê, porque já há tantas "lutas" que temos de travar que eu opto por evitar todas as que posso!

domingo, 1 de setembro de 2013

Setembro

Até sou daquelas que - sim senhor - acha que Setembro marca um recomeço. Costumo recebe-lo de braços abertos e cheia de expectativas, mas este ano, eh pá, este ano (ainda) não estou pronta; falta-me um bocadinho assim |------|. Por outro lado: sei que a rotina facilmente se instalará (e a minha até é das fáceis); sei que me aguentarei à bronca; sei que, aos poucos, "a coisa dar-se-á"...

... posto isto, it's time to move on!

sábado, 31 de agosto de 2013

Das primeiras "palavras"

Ainda há bem pouco tempo vos falava das primeiras letras e já fomos surpreendidos com as primeiras "palavras":


(parece que o João se animou com esta coisa de desenhar letras; as primeiras foram as de "pai"!)

Não!

É uma verdade: educar também é dizer "não". Digo algumas vezes "não" ao João. Não sei se digo vezes de mais, não sei se digo vezes de menos, não sei sequer se digo sempre que devo; mas digo! À conta disto, hoje tivemos - eu e o João -  aquilo a que eu chamo uma conversa muito elevada ;-).
João: posso comer uma chiclete (com o pacote na mão, e eu louvo porque ele pede sempre)? 
mamã: não João, só depois do almoço;
João: estou triste contigo; se não me deixares não te dou nada no Natal. Vou ter uma coisa para ti no Natal e assim não te dou. São as regras!;
mamã: (silêncio);
João: vou contar até 3; se não me deres eu vou esconder o que tenho para ti;
mamã: filho, já estou cansada de te ouvir;
João: eu é que estou cansado de te ouvir dizer: "não! não! não";
mamã: (silêncio);
João: eu não quero estragar as férias, tu é que estás a estragar as nossas férias (tantas vezes ouviu: "João, queres estragar as férias?" que agora é isto!??)!;
mamã: (silêncio);
João: toma lá as chicletes mamã; podes guardar por favor?
mamã: muito bem João, estás muito crescido. Dá cá 5!;
E foram dos "5" mais amorfos dele, mas eu cá adorei (e não foi por "ter ganho a bicicleta", que já não estou nessa)!

p.s. quando estávamos a almoçar, perguntei: "e o que é que vais comer depois de almoço, João? Resposta pronta: "não quero! quero um rebuçado". Resumindo: almoçou e até se esqueceu....

(orgulhoso em último grau!)

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Aviões

Já nos tinham dito que o novo filme da Disney - Aviões - parecia ter sido feito especialmente para o João. E não é que é mesmo verdade!?!


Hoje tivemos a estreia do João no cinema; fan-tás-ti-co! Este foi, sem dúvida, o filme certo para se iniciar nestas andanças; ficou preso à história do início ao fim, só desviou a atenção para os seus inevitáveis comentários!

(para nós também foi uma estreia: ir ao cinema às 10:30 h da manhã!?! e com pipocas e tudo :-), porque férias são férias e furamos regras com um brilhozinho nos olhos!)

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Montanha russa

O João chegou inspirado. Depois de ter decidido que iria fazer uma aula de "displicina", veio ter comigo todo entusiasmado: "mamã, o que achas da minha montanha russa?".


(!?!?!? nota-se muito que o João não faz a mínima ideia do que é uma montanha russa?)

Adorei, filhote! ;-)

Banda sonora do meu final de dia

"Estou de volta pro meu aconchego. Trazendo na mala bastante saudade.

Parabéns

Este é para oferecer....


PARABÉNS!

domingo, 25 de agosto de 2013

Colecção

Ao longo destes nossos dias de (belas) férias, o João foi coleccionando estes raminhos apanhados do chão:

"são para a nossa família"; diz ele com um indisfarçável orgulho do seu feito!

(e são lindíssimos filho, adoramos!)

sábado, 24 de agosto de 2013

Remédio para o orgulho ferido

Num segundo o João passou de um estado de euforia total a uma tristeza profunda. Logo após o jantar decidiu "dar umas corridinhas", como ele próprio disse; eh pá, é que aquilo estava a correr mesmo bem... muito, muito, muito estilo (e ele inchado de orgulho) :-). De uma das vezes em que ia fazer o relato ao pai, pôs o pé em falso e aí e que foram elas: magoou o joelho e feriu o orgulho e a alma. Não foi nada de grave, claro, e depois de se recompor um bocadinho (e de dizer que não queria fazer mais nada nessa noite) atirou: "papá, sabes o que é que me animava? Uma partidinha de matrecos!"

(e foi uma noite al-ta-men-te!)

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Do mar

Só pode ser isso: o mar sabia que Portugal inteiro vinha para o Algarve e, vai daí, engalanou-se, encheu-se de brio e aí está ele no seu melhor.

(u-ma de-lí-ci-a!)

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Do entendimento

Ontem comprei um chapéu de palha; comentário do João quando me viu com ele: "mamã, pareces outra pessoa".

(o meu filho conhece-me tão bem!)

Das coisas que mudam

Há um ano atrás, neste mesmo sítio, andava eu perdida nas leituras de Jonathan Franzen - Liberdade - e temia pelo crescimento  do João. Aquela história - tão focada num miúdo com um crescimento desviante - aliada às birras próprias da idade que o João estava a viver - e que se mostraram algumas vezes por aqueles dias - fizeram-me apertar o cerco.

(confesso que tracei alguns cenários mais catastróficos)

Hoje, 365 dias passados mais coisa menos coisa, sinto os passinhos  pequeninos - mas seguros - do João, sinto a sua curiosidade, sinto a sua euforia e felicidade, sinto a sua meiguice, sinto o seu enorme coração... e sinto-me uma tonta.

(que tonta fui há 365 dias atrás)

3 anos são 3 anos - mágicos, maravilhosos, encantadores - mas 4 anos... ah, os 4 anos são "outra louça"!

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Do apetite

Pela primeira vez em 4 anos e 3 meses - completados hoje, por sinal ;-) - concordo: os ares da praia abrem o apetite!

(e cansam.... mas um bocadiiiinhoooo só!)

Da energia

Hoje tive a certeza: a energia dos 4 anos é inesgotável... e a minha não!

(treina, Carla, treina!)

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Não custa tentar... outra e outra vez

Hoje - após o almoço - o João voltou à carga:
João: posso comer um gelado?;
mamã: um gelado, João? Nem pensar. Acabaste de comer uma Bola de Berlim na praia;
João: desculpem ter comido a "berlinde", foi sem querer!
(eu louvo - palavra que louvo - esta esperteza! E claro que o vou deixar comer o gelado, mais bocado menos bocado. Afinal são férias e está muuuuuiiitooooo calor....)

p.s. este título está quase, quase a virar "etiqueta" tal o número de vezes que recorro a ele :-)

sábado, 17 de agosto de 2013

Do vento

Um vento morno que parecia incomodar outros e a mim me aqueceu a alma. Foi bom - muito bom - senti-lo na pele. Foi bom - muito bom - senti-lo abraçar-nos.

(E agora, no ar, música de Verão. Ouço ao longe. Perfeito!)

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Das férias

Férias são emoções. Emoções diferentes que este espírito leve e descontraído permite viver à flor da pele. Aproveitem(os)!

(para já temos 'bombos' na piscina e a tónica em 2 palavras nada, nada correntes: mummy e pappy.... ah, e muita euforia! :-) )

De quando nada pode correr mal e algo corre... menos bem

Hoje era um daqueles dias que prometia (prometeu, prometera... e esta, só alguns compreenderão :-))! Vou voltar a ele concerteza quando tiver um bocadinho mais de tempo; fica prometido.

Corri o dia todo para tudo corresse como planeado e eis que, já com os minutos contados, não encontrei a chave do carro! Numa situação em que parecia impossível que acontecesse, aconteceu! Não-encontrei-a-chave-do-carro!

Desesperei um bocadinho. À minha espera estava um momento que eu queria mesmo viver e, de repente, sentia-o escapar-me por entre os dedos (e por causa da porcaria de uma chave). Graças a uma conjugação perfeita de esforços - OBRIGADA - consegui não perder este momento que ficou coroado pela delicadeza do João, quando colheu uma ervinha para me dar como prémio.

(Pelo meio muitos sinais de apoio e solidariedade, que não passaram despercebidos apesar do meu estado de "atarantadice" total. Obrigada! Sei que a chave está por aí a rir-se de mim.) :-)

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

No teu poema

E esta é a canção de embalar oficial cá de casa! Quem diria!?!?!

(bem, já não lhe chamaria embalar; mas é, consistente e reiteradamente, a canção pedida mesmo antes de adormecer. De tal forma que acabei de lhe atribuir o estatuto de "ritual" :-) )

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Das primeiras letras

Hoje o João fez para mim um desenho especial, com dedicatória e tudo! Sou eu, claro... e a mensagem diz: "beijinhos para a mamã, do João".


 "Mamã, estás a ver aqui o 'M' de mamã e o 'J'? Também escrevi um 'U', um 'O' de ovelha e um 'Q' de queijo."

(certinho filho, apesar do 'Q' estar de pernas para o ar! ;-) Não sabia que já sabias escrever!?!?! Parabéns :-) )

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Tentar não custa... mais uma vez!

Penso que já falei por aqui da forma como o João lida com o almoço e o jantar, mas recapitulemos: come bem e de tudo, mas refila quase sempre antes de começar. Ele é porque não queria sopa; porque não gosta da sopa; porque não queria carne; porque não gosta de peixe... já estão a imaginar, não é verdade?!? Lá acaba por se resignar e comer tudo direirinho rematando com um: "quem fez esta papinha? Estava uma delícia!". Verdade, é mesmo assim... quase sempre!

Hoje, ao jantar, lá se repetiu a cena com a sopa. Depois de comer uma colher, lembra-se que não gosta "desta sopa" (que por acaso até era igual à de ontem)! Ok, é Domingo à noite vamos lá facilitar com a sopa:
mamã: pronto, João, 'tá bem; comes então mais x colheres;
João: ah, 'tá bem! Uma já está!
mamã: claro que não! Eu disse: mais x colheres!
(até quando leva a dele um bocadinho avante, tem de esticar a corda... mais um bocadinho!)

Dos hábitos

Quem é pai ou mãe percebe perfeitamente do que vou falar. Vou falar de condicionamentos e dos escapes que se criam.

Aparece um bebé nas nossas vidas e os hábitos que tínhamos viram história. Digam o que disserem - que "tem de se fazer um esforço", que "tudo é possível", que "não podemos perder a nossa vida" e blá, blá, blá -, para mim a necessidade de abdicar dos hábitos não é apenas um lugar comum, é uma verdade incontornável!

E então o que é que se faz? Faz-me uma de 2 coisas: ou nos fechamos em casa, resignadamente, e assumimos que não há alternativa, ou nos juntamos a eles - bebés primeiro e crianças depois - e criamos novos hábitos.

E por onde passam estes hábitos? Por onde quiserem, desde que incluam - obrigatoriamente - os pais dos amigos dos nossos filhos! Descobrem-se assim novas oportunidades e criam-se novas amizades (que existem, subsistem e fazem todo o sentido postos os condicionamentos, e tudo o resto, vá, em comum! :-) ).

Digo isto sem qualquer mágoa e sem qualquer sentimento de perda e sei porquê: porque amo ser mãe!

domingo, 11 de agosto de 2013

Alvorada

Outra coisa que se descobre a meio da noite: que os galos cá da terra (sim, sim, moramos quase no campo) cantam às 5 da manhã.

Eu e o sono

A minha relação com o sono mudou muito ao longo dos tempos; desde as minhas insónias antes de adormecer - que é algo de que só a história guarda registo - até às insónias a meio da noite, que descobri desde que sou mãe. Pelo meio tive anos de uma saudável relação com o sono.

Digo-vos que estas insónias a meio da noite são algo que nunca me incomodou. São as alturas do dia - ou da noite, melhor dizendo - em que tenho tempo para fazer o que gosto; sem pressas.

Pois que nestes últimos 4 anos li dezenas de livros; pois que é também nestas alturas que ponho em dia a leitura das muitas revistas que se vão acumulando cá em casa e é também nestas alturas que viajo ao interior de mim e ponho em ordem os meus pensamentos. Gosto tanto de viajar por esta minha vida e de recuperar o passado e de inventar futuros.

Digam lá, se não fossem estas horas nocturnas (ou dito de outra forma: estas interrupções no sono), quando - mas quando - é que ia conseguia fazer isto tudo!?!

(ah, e nos dias em que estou mais cansada não há insónia que me pegue, o que prova que esta s são insónias boas).

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Acontece...

Sempre soubemos que jogar à bola dentro de casa, tinha um preço. Hoje, foi o vidro do relógio da cozinha.

(mas vamos continuar a jogar à bola dentro de casa - com mais cuidado, vá ;) - porque nem sempre dá para jogarmos lá fora e porque brincar é quando nos apetece).

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Uma aventura (mais uma vez)

Andamos há uns dias à procura deste livro (demasiados dias, eu diria, e desesperadamente à procura!)!

(e eu não consigo deixar de imaginar aquela cena dos desenhos animados, em que o livro está mesmo à nossa frente - num sítio óbvio - a rir-se de nós!)

p.s. Se bem se lembram, este livro é muito importante para o João: é para crescidos, tem muitas letras e é um livro em língua estrangeira. Numa tentativa de o consolar, hoje passei-lhe um legado: "Harry Potter e a câmara dos segredos". Para já, satisfaz!

O Monte dos Vendavais

Quem diria que por estes dias me ia apetecer ler um clássico? A minha metade, claro!

(e estou a gostar muito; obrigada pela surpresa ♡)

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Das coisas que funcionam...

Hoje foi dia de surpresas! Nestes dias sinto-me mais completa: preenchida pelo prazer de promover uma emoção; pelo prazer de arrancar um sorriso; pelo prazer da partilha!

Hoje tivemos um cúmplice especial: à RFM e ao Paulo Fragoso o nosso sentido agradecimento. Sabemos que não lhe custou nada, mas para nós foi importante; é esse o valor que tem!

(e seria tudo tão mais fácil se todos alinhássemos por este diapasão. Se todos nos disponibilizássemos para, dentro das nossas possibilidades, encetar um pequeno gesto em prol outrem. É tão simples...)

Sou fã - completamente fã - das "parcerias"! Claro que isto não é uma parceria, mas soa tanto a um "toma lá, dá cá"!

domingo, 4 de agosto de 2013

O rapaz das coisas pequenas

Há uns dias atrás o João fez - e fez só para mim, note-se! - uma torre de Lego com uma princesa no topo (não, não sou eu)!


Muita festa. Adorei - e adorei mesmo -, mas eis que passados uns dias a torre permanece "abandonada" numa estante cá de casa. O João, que não perdoa, questiona: "mamã, esta não é a tua torre?". Está fartinho de saber que sim, mas não perde uma ocasião para deixar a mensagem: "como é, não lhe ligas nenhuma?!?!"

(e é assim o rapaz das coisas pequenas, o mesmo que quando perdeu uma fininha de atar no pulso chorou de saudades... felizmente a fitinha apareceu (e foi sinónimo de felicidade!))

sábado, 3 de agosto de 2013

Barca do Lago e a primeira memória do João

No ano passado - e já no fim do Verão - descobrimos os encantos da Barca do Lago (e de um cantinho que faz sonhar e que dá pelo nome de "proriver"). Este ano acrescentamos um encanto especial a este local.

Ontem ao falarmos com o João dos planos para o dia de hoje - e depois de lhe recordarmos algumas das peripécias vividas no Verão passado - ele pediu para levar uma bola para jogarmos "naquela rede". E com este simples pedido chegou-nos a evidência da primeira memória do João.

(tinha de estar muito desmemoriada para não me lembrar de lhe ter falado na rede e, de facto, não me lembro! mas a memória também já não é "à prova de bala"!)

p.s.: sabe bem regressar aos locais onde já fomos felizes; se é verdade que na vida nada se repete, também é verdade que podemos sempre reinventar bons momentos!

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Férias com Sofia

Deram-me a conhecer um projecto que tenho o maior prazer em divulgar aqui. Porque não tenho dúvidas de que nasce do coração. Porque a pessoa que o lidera me merece toda a consideração. Porque pode ajudar a estabelecer uma ponte.

Se estão na zona da Maia e precisam de um apoio com as crianças no período de 19 a 31 de Agosto, talvez aqui encontrem a solução.

(a "Sofia" é mesmo querida e animará e espevitará os pequenotes à sua maneira. O programa promete e vai desde a leitura, à culinária, às brincadeiras com água..  e onde quer que a imaginação os leve!)

Porque vale a pena destacar o que é bom

Há imensos projectos na internet que me apaixonam: são criativos, são bonitos, são audazes, são "fora da caixa"! E sabem o que é que é melhor nisto tudo? Quando experimento algum, fico ainda mais rendida!

Foi assim com:

https://www.facebook.com/madeinpaper?fref=ts

https://www.facebook.com/doSEMENTE?fref=ts

É que "esta malta" não se limita a ter óptimos produtos, tem também um serviço de excelência: rápido, eficaz, personalizado e simpático!

(e carecemos tanto destes princípios no comércio (e indústria) tradicional, que só posso mesmo "tirar o chapéu" a quem ousa ser melhor!)

Porque é bom partilhar vida(s)

Quem ler este post pode fazer várias leituras, sendo que apenas uma é legitima: sim, temos muitas preocupações em educar o nosso filho; sim, temos muitas preocupações em estabelecer limites, regras e em transmitir um quadro de referência; sim, estamos muito empenhados em fazer do João um Homem Bom!

Hoje recebemos a avaliação da salinha dos 3 anos e confirmamos o menino - afectuoso, amigo, alegre, entusiasmado com a (sua) vida e curioso em relação ao mundo - que temos por cá! Não sabe ler nem escrever, mas sabe brincar; sabe ser!

(se não tem "oportunidades de melhoria"? Tem, claro que sim, tem muitas e é para isso que nós cá estamos! A quem nos ajuda neste caminho, o nosso muito obrigada!)

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Sem contar

O João adora que lhe façam cócegas (sim, é a sua costela masoquista!); hoje, à conta disso, protagonizou a história que se segue:
João: mamã, faz-me mais cócegas.
mamã: espera um bocadinho, João; sem tu contares é mais giro.
João: um, (silêncio)... vês mamã, já não estou a contar!?
(e quem resiste a isto?!? eu não! vai daí, fiz-lhe "carradas" de cócegas!)

sábado, 27 de julho de 2013

Kimkamkum

A adoração por este livro mantém-se; agora virou "um livro em língua estrangeira" e o João lá o lê num dialecto muito próximo do "chinês"! Anda encantado, porque se acha muito crescido e como tal pode aprender "muitas línguas" (e é vê-lo por aí a inventar palavras nas ditas línguas.... que vão do "espanhol" ao "espanholândia"!)!

Também já aprendi a contar até 5 em "espanholândia" e aprendi a dizer "até amanhã"; é mesmo com essa que me despeço kimkamkum (atenção, só aprendi ainda a parte oral, espero não ter erro de ortografia!)!

(haja imaginação... e há!!)

Tentar não custa

Este foi o estado em que ficou a nossa cozinha logo após o jantar.


Quando foi convidado a arrumar, o João saiu-se com a pergunta esperta: "quem é que me ajuda a arrumar?". O que se seguiu foi um exercício de "esperteza" a toda a prova:
pai: João, quem te vai ajudar a arrumar é a mesma pessoa que te ajudou a desarrumar;
João: alguém pode ajudar-me a desarrumar?
(ninguém pode condená-lo por tentar, mas lá teve de arrumar tudo sozinho... e arrumou!)

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Dos dias cheios

Há coisas que - sem qualquer importância - assumem um peso determinante nas nossas vidas. Assim foi num outro dia e "a troco de nada"! Aquela situação - que bem sabes qual é - teve o peso de um 2.º "sim"; um 2.º "sim" trocado à laia de um dia comum.

E sinto que temos no nosso futuro tudo com que sempre sonhei!
Foto: - Estás triste de repente?
- Ver-te assim pôs-me a pensar no que fiz com a minha vida. 

É isso mesmo: o que interessa é aquilo que fazemos com a nossa vida. O que é bem diferente daquilo que fazemos na nossa vida.
Não interessa o que fazes na vida; interessa o que fazes com a vida. 

--------------------------------
"In Sexus Veritas", de Pedro Chagas Freitas
Para encomenda de um ou mais exemplares (quase 1500 páginas) autografados, basta enviar e-mail para pedrochagasfreitas@gmail.com
(foto "roubada" daqui: 
https://www.facebook.com/pedrochagasfreitas?hc_location=stream)

(e tenho comigo - materializado - o simbolismo desse dia (obrigada!)).

terça-feira, 23 de julho de 2013

Coisas do embevecimento

E sabes quando me sinto assim, João?


  • quando, com o jeito que só tu tens, me contas o teu dia (e como me transmites as tuas emoções);
  • quando me perguntas, com um interesse fora do tempo,: "mamã, como é que foi o teu trabalho, foi bom?" e rematas com um: "tive saudades tuas";
  • quando escolhes cada uma das tuas expressões inigualáveis - e normalmente escolhes a certa -, para cada momento (e eu não sabia que aos 4 anos se conseguia ter tanta expressividade);
  • quando te enterneces e com voz meiga e chorosa nos dizes que tens saudades deste ou daquele, disto ou daquilo (e eu não sabia que aos 4 anos cabia tanto num coração);
  • quando, com um engenho fora do tempo, te interessas e aventuras pelas coisas da aviação (num claro elogio ao teu pai);
  • quando inventas personagens sem fim para as tuas histórias mirabolantes (e eu longe de imaginar que 4 anos te trariam tanta criatividade);
  • quando me contas, de cor, as histórias dos teus livros (e eu longe de acreditar nesta fantástica memória);
  • quando te atrapalhas no teu próprio enredo e repetes sem parar: "sabes o quê?, sabes o qué?", até te orientares (e eu não sabia que 4 anos te trariam tanta perspicácia);
  • quando manipulas os nossos sentimentos porque sabes (antecipas) que te apanharemos em falso (e mais uma vez, a bendita da perspicácia); 
  • quando me abraças e dizes: "adoro-te muito" (e eu não sabia que o amor se multiplica assim)!

Quando és tudo isto! Quando conquistaste tudo isto em 4 anos e nós sempre a pedirmos mais! Pois hoje não te peço mais nada; apenas que continues a ser criança; apenas que continues a ser feliz!

(e quero lá saber se tenho de te chamar 5 vezes para vires para a mesa e se tenho de te dizer 10 vezes para ires à casa de banho!)


p.s. claro que sabes que apesar de ter sido eu a escrever isto, deste lado estão dois corações embevecidos. Só podia mesmo ser assim; és parte de nós!

O pai também também quer contribuir para esta lista de momentos "estrelados". Aqui fica o embevecimento visto pelo coração de pai, ao viverem os vossos momentos:
  • "quando repetes vezes sem conta “vá lá, vá lá, vá lá…”, e me deixas desarmado para negar (jogar à bola, playstation, wii, fazer Lego … );
  • quando pilotas os teus aviões e me fazes ir apanhá-los "milhares de vezes", para mais uma tentativa/viagem, fazendo-me arranjar "paciência" onde já não pensava haver."

domingo, 21 de julho de 2013

Do prazer de surpreender

Adoro criar emoções. Adoro ideias "fora da caixa". Adoro rasgos de imprevisibilidade.

Pois bem, a nossa colega Mariana casou ontem e "a malta", mais uma vez e atempadamente, juntou-se para a surpresa. Ainda não tivemos o feed-back de viva voz, mas não tenho dúvidas de que a surpreendemos (e foi um prazer)!

(quando - mas quando - é que a Mariana podia imaginar ver-nos a cantar em coro (desafinado, mas gravado ao primeiro take e que resultou completamente hilariante)? Tudo em prol do factor surpresa e tudo para lhe fazer chegar os nossos votos de felicidades! :) )

sábado, 20 de julho de 2013

O valor do tempo - ii

Vamos lá a mais uma teoria (esta, não sei bem se será "muito e só" minha).

Metade deste ano - apregoado negro - já lá vai! Nós nem queremos acreditar (custa-nos de tão irreal que é!), mas é a mais pura das verdades!

E porque será que nos custa acreditar nisto? Cá vai a minha teoria:

Durante os primeiros meses do ano acreditamos, com todas as nossas forças e porque assim o desejávamos, que este tal dito annus horribilis seria a solução para todos os problemas e todas as dificuldades. Pois bem, à medida que o tempo passa esta meta fica cada vez mais distante e o seu cumprimento cada vez mais impossível. Nós sentimos este tempo de soluções esfumar-se e desejamos - desejamos muito - que ele pare!

(como é que é possível (!?!) já passou metade... e nada de "luz ao fundo do túnel"!)

Desafio atrás de desafio

Cá por casa andamos em modo desafio (acho que não me engano muito se disser que esta será uma constante na vida - e nas casas - de quem tem por missão educar uma criança, engano?)

Há coisas que nos situam mesmo no patamar na incredulidade: "mas como é que eu não consigo isto?!?". Tenho umas poucas por resolver, mas temos de ir por partes! Já houve tentativas falhadas - pois houve - mas ainda não desisti, embora reconheça que tenho de puxar muito pela imaginação para desencantar novas armas. Quando me surge uma ideia, agarro-a bem; quem sabe não resulta!?!

Não vão acreditar se vos disser que o que esta a motivar o meu petiz é apenas - e só - a ambição de escrever a carta ao Pai Natal: "eu sei que ainda falta muito, mas eu só quero escrever a carta, posso mamã? posso?"


(podes filho, mas tenho uma condição!)

p.s. a má notícia é que ontem tivemos de voltar "à casa de partida"; mas (ainda) não desistimos!


terça-feira, 16 de julho de 2013

Verdades e mentiras deste fim-de-semana

Pois é, tentei "meter o Rossio na betesga" e tirei algumas conclusões:
  • Nunca deixar para amanhã o que se pode fazer hoje - verdade;
  • Uma "directa" não é a solução para tudo - verdade;
  • O limite físico das nossas forças é uma constante ao longo do tempo - mentira;
(espero não me esquecer desta "lição" tão cedo! Serve-me de consolo ter conseguido conciliar as obrigações com as coisas boas do fim-de-semana, que as houve: festas da Maia; pilates; aniversário de uma amiga e caminhada do homem e da mulher. Uuuuuufffffaaaaa!!!! (paguei com horas de sono!))

terça-feira, 9 de julho de 2013

Treinarei, treinarei, treinarei

Ora bem, vamos lá espreitar "o meu poema" e vamos escrever aqui - não escrevendo - algo que se não reduzir a escrito não passará de uma vontade; partilhando-o, considerem o compromisso!

Logo no início de Setembro darei asas - de forma organizada e determinada (disciplinada, melhor dizendo) - a um gosto antigo, na certeza de que "sem treino não há mestre"; lá diz o professor.

(aaauuummmm... treinarei, treinarei, treinarei! Hoje estou numa de meditação e interiorização!)

Aaaauuuummmmm

Hoje ao adormecer o João, introduzimos uma espécie de "mantra":
mamã: João, repete comigo: amanhã não vou fazer birras, amanhã não vou fazer birras, amanhã não vou fazer birras;
João (com resposta pronta): nunca mais vou fazer birras, nunca mais vou fazer birras, nunca mais vou fazer birras.
E até se podia pensar que ganhei o dia, mas... talvez não! We'll see ;-)!

(nem se pode dizer que o que ele faz sejam birras - porque eu sei o que são birras e não é isto - mas lá que, juntamente com o calor, isto maça muito, lá isso maça :-).)

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Aló Kitty

Hoje o João inventou uma canção para mim; adorei!
João: a "Aló Kitty" brilhava, porque tinha brilhos no lacinho... lá, lá, lá..
mamã (apesar de derretida com o miminho): João, não é "Aló Kitty", é "Hello Kitty".
João: ah, 'tá bem! A "Aló Kitty" estava a brilhar, porque tinha uns brilhos no lacinho... lá, lá, lá...
E é isto! Ainda bem que ele corrigiu o que estava mal ;-)!?!

domingo, 7 de julho de 2013

Exercício de independência

Ontem o João: "mamã, dás-me o meu cartão do cidadão? Eu preciso, para ir aos senhores polícias pedir outra pulseira."

(sim, claro, meu cidadão independente! E lá foi ele, com o pai, tratar dos seus assuntos.)

sábado, 6 de julho de 2013

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Coisas de palavras fora do tempo

Nem sabia bem que título dar a este post... a sério!

Nunca pensei rir-me tanto com a história do primeiro "palavrão" do João. Nunca pensei rir-me, sequer, com a história do primeiro "palavrão" do João. Bem, a verdade é que nunca pensei nisto... nem tive tempo! Eis que este dia chegou, PRECOCEMENTE - digo eu -, aos 4 anos! (?!?!)

Ele há coisas!?!?! O rapaz nunca nos ouviu dizer um "palavrão" e, sem mais nem porquê, dispara um correctamente soletrado e aplicado com nexo! A sério!

(no meio disto tudo, louvo não ter sabido da história em discurso directo e louvo o "poder de encaixe" do pai, que ouviu - impávido e sereno -, questionou onde é que ele tinha ouvido aquilo e ainda conseguiu articular um: "pronto João, está bem, os teus amigos dizem mas os pais não gostam que digas, É feio!")

Coisas que vou lendo por aí (e que valem a pena)

Gosto de vaguear por este mundo dos blogs (contidamente, claro, porque este é um mundo sem fim!). Nas minhas deambulaçãoes leio umas quantas coisas bem interessantes; vai daí, decidi inaugurar uma etiqueta com o sugestivo nome que intitula este post.

(Não tarda inauguro-a; fiquem atentos!)

terça-feira, 2 de julho de 2013

Impulse?

Querido João,

Se uma desconhecida te oferecer três cartõezinhos dos hungry birds, isso não é impulse.

(é apenas o teu charme a funcionar.)

Dos tons dos dias

Querido João,

"és tela, és cor, és pincel". Escolhes as tuas cores e pintas a tua tela. Nem sempre escolhes as cores certas. Claro que não; sabes que não; sabemos que não.

(Mas és tu. Tão doce! Tão tu!)

Mudando de assunto, hoje contei-te as cinco histórias - as da praxe - e esticaste a corda: "mamã, hoje podem ser sete?". Sei que as aprecias, mas não podem ser mais. Trocamos duas histórias por quatro canções e adormeceste feliz.  E eu fiquei ali um bocadinho a ver-te dormir e a ser feliz.

(Ai rapaz, no teu menos de um metro de gente acumulo tudo o que sou: as forças, as fraquezas, as oportunidades e as ameaças.)

domingo, 30 de junho de 2013

Sorria, está na Maia

Os Maiatos claro que já conhecem; para o mundo, aqui fica o slogan da cidade!


(e sorriam, estejam onde estiverem :-))

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Do valor do tempo

Sabem aqueles dias em que se sente que se perdeu tempo (escasso e preciosíssimo)? São 11:00 h e já sei este é um desses dias!

(estou a perder tempo desde ontem à noite! aaaarrrhhh..!)

domingo, 23 de junho de 2013

João Martinho

Ontem o João tentou que o deixássemos adormecer na sala. Ora bem, isso já aconteceu em dias que nós consideramos "especiais" e claro que o argumento estava na ponta da língua: "vá lá, deeeiiixeeemmm-me; hoje é um dia especial, não é? Qual é o dia que já me esqueci? Ééééé... João Martinho?"

(eu percebi bem, porque à tarde ele tinha-se baralhado e tinha dito que era dia de S. Martinho. Ora, juntando tudo, faz sentido ;-))

sábado, 22 de junho de 2013

Recordações

Hoje demos um saltinho à praia. As circunstâncias foram em tudo semelhantes a uma outra ida à praia: uma das primeiras do João e em que ele "comeu" areia. Comentávamos isso mesmo e ele ficou curioso:
João: o que é que vocês estão a falar?
mamã: estávamos a falar sobre uma vez que viemos à praia, quando eras bebezinho, e comeste areia (lá acrescentamos, prudentemente, que "comer areia" não quer dizer exactamente comer areia)!
A reacção, devidamente misturada com uma leve gargalhada, foi prontíssima e inesperada:
João: desculpa mamã, desculpa!
(não tens que pedir desculpa João; aquele foi um dia muito especial.)

O Senhor Valéry e a lógica

Ontem detive-me num livro - lindo, lindo - a que já tinha dado alguma mas, prova-se agora, insuficiciente atenção.

Ando encantada com estas lógicas e pela primeira vez percebi que eu, sendo das pessoas pequeninas, se der muitos saltos sou igual às pessoas altas, só que por menos tempo ;-)!

Esta e muitas outras trivialidades vistas por um prisma muito... inocente, direi, mas também acutilante.

Decididamente, gosto!

(obrigada P.)

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Pilates

E por estes dias arrancou uma nova aventura: pilates.

(gostava mesmo de conseguir disciplinar-me; no espírito, na assiduidade e na vontade. Veremos... mas farei um esforço - e lá vai a vontade - por mim!)

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Pica ou não pica?

E agora um daqueles posts inocentes, bem ao estilo do João. Passou-se num outro dia.

mamã: hoje o jantar é carninha picada com massa (foi lasanha, feita por moi-même);
João: mas eu não gosto de carne picada!

(pára tudo! O João ADORA carne picada!)

Como é hábito no João, a refilice já faz parte da praxe mas não o impede de passado uns segundos/minutos se sentar (mais ou menos) obedientemente a fazer a refeição. Assim foi! Após saborear o primeiro bocadinho de carne, sai o veredicto:

João (com a lingua de fora): vês como não pica mamã!?!
(realmente, e pensando bem, ele ADORA carne picada, mas não lhe chama assim!)

Coisas de um dói-dói

Este dia ia chegar - claro que sim -, o dia em que o João esfolaria os joelhos.

Já antecipei este momento - e apertei o coração - tantas e tantas vezes em que vi o João "zarpar" na sua bicicleta (descidas! curvas! Aaaaaiiii). Apesar disso, acalentava a secreta esperança de que não acontecesse tão cedo.

Pois aconteceu ontem, e o pior de tudo, quando eu não estava por perto para dar mimo (foi na escola)!

O drama! O terror! O rapaz entrou numa espiral de exageros.

(dói! Sei que dói e por isso queria estar no lugar dele para suportar essa dor. O resto? Bem, o resto é saudável experiência de vida!)

Ser mãe também é isto

Ser mãe custa muito!

Quem experimenta este "ser", sabe bem do que falo. Falo de um amor incondicional - superior a qualquer birra e a qualquer acesso de desobediência -, falo de uma vontade constante de substituirmos os filhos na dor, falo de conjugar tudo isto (e o que lhe está subjacente) com a necessidade premente de educar!

(hoje o dia foi extremamente exigente a este nível; foi duro! Acho que acabou bem (e acabar bem, significa ter enraizado alguns valores na cabecita da minha criança), mas foi arrancado a ferros! ARRE BURRO!)

Ser mãe é MARAVILHOSO! 

domingo, 16 de junho de 2013

Coisas de Pirata

E o meu astronauta virou pirata!

João: mamã, quando eu tiver 23 anos vou ser pirata!
mamã: muito bem João. Então e o que é que fazem os piratas?
João: procuram tesouros! E é isso que eu vou fazer!
(menos mal que eu o pai manteremos lugar na vida futura do João; o pai será o Cubby e eu serei a Izzy! Onde é que já ouviram isto? Claro, foi no "Jake e os Piratas da Terra do Nunca"!)

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Parque infantil

Desde que decidimos comprar a nossa casa, já lá vai um tempo valente, que nos vendem o "pescado" de que ia ser feito um parque infantil, num tal zona que nunca identifiquei (sempre me baralhei). A verdade é que o dito parque, nunca apareceu!

O assunto não foi esquecido e era muitas vezes abordado pelos moradores, quase já em tom de brincadeira, com o promotor da obra; como resposta recebíamos sorrisos e as desculpas habituais (sem cobranças; são pessoas excepcionais)! Disse que o assunto não foi esquecido, e não foi, mas a verdade é que penso que já ninguém acredita no dito parque!

Ontem, sem que nada o fizesse prever, dei de caras com um parque infantil prontinho a ser inaugurado! Não sei se é o dito; não sei se era aquela a zona; não sei nada.. só sei que ali está ele, com os equipamentos ainda envolvidos por plástico protector e com uma fita de segurança em volta! Ah, e também sei que aqui nas redondezas há muitos miúdos que se vão deliciar!

(é ano de eleições e tal... whatever, who cares!)

domingo, 9 de junho de 2013

Trapos com histórias

Ontem assistimos a uma "hora do conto" conduzida pela Saphir Cristal. Duas coisas: 5 estrelas; conheçam!

Sei que em Junho e Julho andará pelos shoppings do norte; confiram aqui: trapos com histórias!

(tanta magia, tanta ilusão, tanta musicalidade, tantos e tantos presos ao mundo do faz-de-conta!)

Emoções

A vida é feita de emoções; tantas vezes para vivermos umas temos de abdicar de outras. No reino dessas emoções, ontem tive de optar. Desconheço as que perdi, só acrescento as que vivi.

(e foram boas)

sábado, 8 de junho de 2013

Era uma vez

A Lipor fez um investimento de fundo junto das escolas (pré-escolar) da Maia. Diponibilizou tempo, recursos - humanos e materiais -, saber e vontade.

Hoje foi o culminar do projecto "Era uma vez"; estou convencida de que muitos, dos que acompanharam o projecto e as actividades de hoje, pensaram: assim se fazem melhores cidadãos para o futuro!

(porque "de pequenino se torce o pepino"!)

sexta-feira, 7 de junho de 2013

M.

Há pouco mais de 3 anos, conheci uma menina de sorriso rasgado - e franco -, que faz diferença no nosso mundo! De hoje em diante, e por força das opções da vida (que bom é tê-las), os passos dela seguirão por um caminho diferente, mas estou certa de que a levarão longe, fruto da sua bondade!

(Felicidades M.; não te afastes muito!)

Escrita criativa

Confesso que já estou com saudades de escrever aqui, mas isto (tempo e criatividade) não chega para tudo!

(acabei de escrever o texto de hoje por outras paragens; até 2.a-feira será assim... para cumprir o desafio!)

terça-feira, 4 de junho de 2013

Coisas da emoção (e das saudades)

Ontem, e ainda enquadrado na celebração do dia Mundial da Criança, o João assistiu à dramatização dos "101 Dálmatas". Sei que reage emocionalmente às mensagens que lhe chegam por esta via (ainda no ano passado, neste mesmo cenário, o vi chorar por causa de "o macaco do rabo cortado"); e foi o que aconteceu! Reagiu negativamente (que é o mesmo que dizer: com choro) à personagem da Cruela.

Isto foi o que me contaram, mas ele entrou logo em defesa da sua honra: "mamã, eu não chorei por causa da Cruela; chorei porque tinha saudades tuas e do pai"!

(que querido... mesmo) :-)

p.s. a verdade é que quando lhe conto esta história dou um bocadinho a volta ao enredo; até a mim me custa!

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Sumo com picos

Hoje, o João teve o seu piquenique do dia mundial da criança. Da descrição sobressaiu o sumo - em lata - com picos!

(penso que por ser algo que não entra na sua rotina e porque o João acha que os sumos com picos (vulgo: refrigerantes), são coisas de crescidos; que ele se obriga a gostar, por isso mesmo, mas de que não gosta!)

E rematou, com um gesto determinado de mãos: "sabes mamã, não picou-me na-da"; não contente reforçou, com a língua para fora: "tu achas que eu tenho a língua picada!!!?)

(não, filho. Claro que não tens!)

Uma aventura

Há histórias que ficam na nossa vida apenas pela sua simplicidade e inocência; é o caso da que se segue.

Compramos, para oferecer, livros da colecção "Uma Aventura". Acabamos por comprar um a mais porque há sempre a quem oferecer estes livros. Há ou havia, porque D. João reparou que se tratava da 3.ª edição e decidiu que era mesmo indicado para ele, que já tem mais de 3 anos!

(porque ele já está muito crescido, está mais velho e portanto já pode ter livros com muitas letras!) 

Sem mais delongas e sem "mas, nem meio mas", avançou: "papá, escreve aqui: dos papás para o João. Beijinhos."

E quem resiste a isto? Nós não!

(a verdade é que já não larga o livro; dormiu com ele e hoje levou-o para a escola para mostrar aos amigos.)

sábado, 1 de junho de 2013

O Piscas

Ora cá está o resultado da actividade desta manhã: Uma história, Uma brincadeira.



 
(e o João decidiu chamar-lhe: Piscas)

p.s. 5 estrelas para a Biblioteca Municipal da Maia (Biblioteca Municipal Doutor José Vieira de Carvalho). A visitar e a frequentar.. sem dúvida!

Dia Mundial da Criança

Aparentemente não tem nada a ver com o Dia Mundial da Criança, mas tem tudo a ver!


Deixo aqui o resultado de um trabalho a duas mãos, que seguiu directamente do nossos corações para os filhotes dos nossos colegas de trabalho. Com esta surpresa quisemos assinalar o Dia Mundial da Criança de 2013; esperamos que tenha chegado a muitas mãos!

(obrigada Madalena pela cumplicidade; a repetir!)

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Uma surpresa para amanhã (hoje!)

E agora que assuntos mesmo chatos estão arrumados (embora por pouco tempo), já só penso na surpresa de amanhã!

(e em descansar, que estes dias (e noites) foram dureza!)

Está tudo a postos!

Maio - II

Maio é mesmo o mês das coisas boas, mas - infelizmente - é também o mês dos impostos! Credo! Cruzes canhoto!

O tema dava uma grande dissertação... mas estou cansada!

(e estou tão farta da embrulhada em que os nossos legisladores se meteram (e nos metem)! Atenção Senhores legisladores: é preciso desfazer TUDO e fazer de novo; mas desta vez, em bom! Vá lá, ajudem qualquer coisinha, para que ser cumpridor - e pugnar por isso - custe menos a todos! )

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Maio

Maio é o meu super-mês; o curioso é que quando nasci Maio era-me completamente neutro... e assim foi por muitos anos, mas a vida encarregou-se de juntar a este mês (e neste mês) acontecimentos muito, muito especiais e tornou-o SUPER!

(este ano os festejos tiveram um bocadinho de tudo (e por ordem): emoção e loucura q.b.; improviso e surpresa; partilha e ternura; brincadeira, amizade e "aberta uma varanda (porta) para o mundo"... como eu gosto e tem de ser!!! E sim, foram 4 festas (sem contar com o dia da mãe) :-) )

terça-feira, 28 de maio de 2013

Parabéns F.

O João e a F. cresceram lado a lado dentro das barriguinhas das suas mamãs; apenas 8 dias os separaram no nascimento (querida F., hoje é o teu dia)!

As opções da vida (e a correria do dia-a-dia) acabaram por afastá-los um bocadinho, mas os mimos (pelo menos nas datas especiais) mantêm-se; foi com grande alegria que no passado dia 20 de Maio o João encontrou esta surpresa boa na caixa do correio..

 (a arte da mamã (abelhita - pequenos gestos) aliada à arte e ao prazer dos filhotes)

 (postal magnífico; não apenas bem executado, como tremendamente inspirado. Obrigada!)

(os sorrisos da F.)

A vida é sonho e é o sonho que a comanda! Sonha alto F. e sê FELIZ!

Parabéns!

quinta-feira, 23 de maio de 2013

"itas" e "itos"

O João é daqueles que faz muito diminutivos; fá-los todos em "itas" e "itos"! Fica charmooosooo que nem imaginam, mas por vezes origina dúvidas...

.. como "os vizitos"!

(got it!)

Desafio aceite

Até aos dois anos e meio do João, mantive um registo mais ou menos regular das peripécias do dia-a-dia. Era um verdadeiro prazer escrever aquele "diário", que virou "mensário", depois passou a "anuário" e está em branco desde o dia 27 de Maio de 2012.

Porque agora as peripécias são mais do que alguma vez foram, fui desafiada (pela única pessoa que o podia fazer) a retomar este registo; passei os olhos pelo que ficou para trás e está decidido: desafio aceite!

(e um dia, João, este "tesouro" será teu! Porque blog é blog, e este registo, tão mais hilariante, intimista e pessoal, não se compara com isso...)

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Aviso à navegação

Se por acaso ouvirem o João dizer que tem um carro, telecomandado, que anda nas paredes e no tecto: não está a mentir!

(são assim, as coisas fora do normal...)

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Porque o tempo passa, precisamos de fazer ajustes

E como o João está mesmo a ficar crescido, um dia destes tivemos uma conversa; para situar "as coisas" :-).
mamã (ao mostrar ao João a nossa primeira fotografia com ele, já lá vão 4 anos): sabes João, quando tu eras assim muito pequenino, a mamã chamava-te "ratinho" e também "ratiti" e o pai chamava-te "piruços" (assim mesmo, com "o".. afinal és rapaz). Agora que já vais fazer 4 anos e estás tão grande, já não te posso chamar "ratinho", pois não?
João: pois não mamã...
mamã: então como é que eu te hei-de chamar?
João: João Lira, não é mamã?
(é filho, claro que é! Que cabeça a minha...)

Para ti, João

Querido filho,

Tantas e tantas vezes, como agora, encho os olhos (e o coração) com cada bocadinho de ti e ainda me pergunto (incrédula): como é possível?!?

Chegas aos teus 4 anos e és magia (e mágico, ao mesmo tempo)!
Chegas aos teus 4 anos e és cor (e pintor, ao mesmo tempo)!
Chegas aos teus 4 anos e és música (e tocas, ao mesmo tempo)!
Chegas aos teus 4 anos e és alegria (e riso, ao mesmo tempo)!
Chegas aos teus 4 anos e és encantamento (e encantador ao mesmo tempo)!
Chegas aos teus 4 anos e és um inventor (com imaginação fértil e... disparatado, como tem de ser!)!
Chegas aos teus 4 anos e és sonho (e sonhador ao mesmo tempo)!

Parabéns João! Hoje e sempre, usa o teu enorme coração para melhorar o mundo! 

Beijinhos da mamã


(sabemos-te FELIZ; somos FELIZES (e sabemos que a nossa missão está a ser cumprida; continua a desafiar-nos como fazes todos os dias)!)